Arquivo de etiquetas: Transportes Urbanos de Braga

EUB prometem velocidade cruzeiro no primeiro trimestre

Os Estacionamentos Urbanos de Braga (EUB) vão reforçar, em Fevereiro, a sua equipa de fiscalização com a entrada ao serviço de mais dois operacionais. A nova unidade de negócio da empresa municipal Transportes Urbanos de Braga (TUB) iniciou no início de Dezembro a gestão do estacionamento pago de duração limitada nas ruas da cidade com cinco fiscais, tendo entrada ao serviço, em Janeiro, mais dois elementos.

Teotónio dos Santos, administrador dos TUB, declarou ao Correio do Minho que a operação de gestão dos parquímetros está a correr dentro da normalidade esperada. “A rotação do estacionamento, que é um dos propósitos do sistema, está a acontecer e durante o primeiro trimestre iremos entrar em velocidade cruzeiro”, considera o responsável dos TUB, ainda sem dados concretos sobre o primeiro mês de actividade da EUB.

As notificações por estacionamento abusivo nos lugares pagos voltaram a surgir nos pára brisas de automóveis, após um período em que a fiscalização a cargo da Polícia Municipal foi considerada ineficaz.

“Depois de um período de sensibilização e informação junto dos automobilistas, com aviso de novas ruas da cidade que passaram a ter estacionamento pago”, os agentes da EUB passaram a deixar de ser condescendentes relativamente às infracções.

Com novo reforço da equipa de fiscalização, a EUB alargará o seu perímetro de actuação, até agora mais centrada nas artérias mais centrais da cidade de Braga.

Desde o início de Dezembro, a EUB passou a proporcionar possibilidade de pagamento do estacionamento de duração limitada através das aplicações móveis iParque e Via Verde, adiantando Teotónio dos Santos que cresce diariamente o número de automobilistas a recorrer a estas formas de pagamento.

Com a app Via Verde Estacionar, por exemplo, não é necessário identificador ou moedas, beneficiando o automobilista da vantagem de pagar exactamente o tempo do estacionamento, que pode prolongar ou terminar antecipadamente.

Os TUB assumiram também a emissão das avenças de estacionamento para residentes e empresas das zonas abrangidas por parquímetros, garantindo o administrador da empresa que a emissão daqueles títulos decorre agora de forma mais célere. “Um pedido é deferido em dois ou três dias”, garantiu, adiantando que, apesar do aumento de pedidos, ainda não foi atingido o limite de 50% dos lugares de estacionamento regulado por parquímetros existentes na cidade de Braga.

@Correio do Minho, 10 de janeiro de 2020

Mais de 40 ruas reguladas com parquímetros

Com o alargamento da zona de estacionamento de duração limitada, aprovado pela Câmara Municipal em Setembro de 2019, são agora 42 as ruas e praças da cidade abrangidas por parquímetros.

Parte das artérias que, em Março de 2014, foram retiradas da então concessão do estacionamento, voltaram a ser taxadas. São os casos das ruas dos Bombeiros Voluntários, Carvalhal, S. André, Adaltiva Vieira e Diu, entre outras. Troços das ruas Frei Caetano Brandão, 25 de Abril e Américo Ferreira de Carvalho voltam a ter parquímetros.

Gestão do estacionamento deve traduzir-se em apoio à mobilidade sustentável

Durante a apresentação da nova área de negócios dos TUB, o presidente da Câmara de Braga Ricardo Rio vincou que a atribuição desta valência aos TUB tem um alcance bem maior, que se prende com a sustentabilidade ambiental e a promoção da mobilidade urbana. Segundo o edil o objetivo é que« a gestão do estacionamento seja um mecanismo de apoio à mobilidade e a melhores serviços de transporte».

A propósito dos entraves que as dificuldades de estacionamento representam para a mobilidade, Teotónio dos Santos afirmou, em entrevista, que o transporte individual está estacionado 90% do tempo e o transporte comercial 60%.

O administrador dos TUB afirmou que o estacionamento em segunda fila penaliza fortemente a circulação e a velocidade comercial dos autocarros, adiantando ainda que os estudos demonstram que a dificuldade de aparcamento à superfície faz com que os condutores particulares façam diariamente uma média de 4,5 kms à procura de estacionamento na cidade, o que causa ainda mais constrangimentos à circulação, dificultando sobremaneira o acesso ao centro urbano.

«Admitimos que a cidade cresceu orientada para o transporte individual, como comprova, desde logo, a construção de milhares de lugares de estacionamento em parques no centro. O transporte individual desloca- -se no sentido do centro para estacionar, criando mais congestionamento», avançou.

A circulação dos autocarros dos TUB é por isso mais dificultada em alguns troços, desde logo aqueles que estão diretamente relacionados com o crescimento da cidade, havendo zonas nevrálgicas que são apontadas pelos motoristas como fonte de “dores de cabeça”, “stress” e eventuais atrasos nos transportes coletivos bracarenses.

«Quem quer aceder a Norte, a partir da Senhora-a-Branca ou da Avenida Central tem duas alternativas: ou vai pela rua de Santa Margarida, e vai esbarrar na congestionada Rotunda de Infias, ou vai subir a Rua dos Chãos, que sofre um estrangulamento do trânsito a Norte, fruto do deficiente urbanismo na zona do Largo dos Penedos. Em particular este último percurso é muito percorrido pelos autocarros dos TUB. A estes “pontos negros” para nós juntam-se outros, como a Avenida Padre Júlio Fragata, a zona junto à Universidade do Minho, sobretudo, nas horas de ponta, ou a zona do Colégio João Paulo II, em Dume, nos horários de entrada e saída dos alunos», exemplificou Teotónio dos Santos, adiantando que os TUB têm vindo, a analisar estes troços mais complicados em articulação com o Município, apresentando um conjunto de soluções que serão aplicadas na Rotunda de Infias, a título de exemplo, bem como nas “Zonas 30”.

Segundo Teotónio dos Santos em plena hora de ponta circulam pelo concelho 111 veículos dos TUB, incluindo no centro urbano, estando sujeitos a atrasos variáveis mediante o trânsito, apesar dos horários terem sido desenhados tendo em conta a real situação do tráfego e a eventualidade de atrasos.

«Tentamos adotar formas de garantir a execução dos horários de maneira a não prejudicar os passageiros, porém em vias estruturantes quando há um carro mal estacionado ou um acidente, ou basta uma avaria, para bloquear a cidade e condicionar uma série de linhas, causando um sem número de derivações ao longo da rede, fruto de uma situação, por vezes mínima, naquele troço», expôs o administrador.

Teotónio dos Santos lembra que a necessidade de acesso ao centro de Braga tem também aumentado fruto do crescimento da economia e do fenómeno da imigração, congestionando cada vez mais o trânsito e levando a empresa municipal a enveredar por uma campanha de transição para o transporte público coletivo e de captação de clientes, que se traduziu no aumento de 17% de passageiros desde 2013.

«E continuamos a melhorar as nossas linhas e a investir na oferta para tentar captar mais pessoas, evitando a utilização do transporte individual. Só no final deste ano teremos mais quase dois milhões de clientes do que tínhamos há seis anos atrás, fruto da melhoria de oferta, do congelamento dos tarifários e inclusivamente da redução que houve este ano», revelou.

Segundo o administrador, até ao final de 2020 Braga terá 32 autocarros novos, sete dos quais chegarão logo em inícios de 2020, aguardando-se que ao longo do ano a eles se juntem outros.

Autocarro Escolar dedicado e gratuito evita congestionamento no centro da cidade

O School Bus de Braga deverá, neste segundo ano de atividade, recolher o dobro dos passageiros, tal o interesse que o programa de mobilidade, redução de tráfego nas escolas com maior congestionamento e descarbonização da cidade tem suscitado, sublinha o vereador Miguel Bandeira. No ano letivo passado foram transportados 200 alunos e retirados de percursos rodoviários pelo menos 166 carros por dia. Este ano, a avaliar pelo interesse demonstrado, subirão a bordo 400 passageiros e das ruas sairão 370 veículos. A viagem é gratuita. Os autocarros estão em quatro pontos periféricos: Minho Center, Continente Bom Dia, variante do Fojo, Estádio Municipal. Dali seguem para a EB 2,3 Francisco Sanches, EB 2,3 André Soares, colégios D. Diogo de Sousa, Leonardo Da Vinci e Teresiano e para o Conservatório Calouste Gulbenkian.

TUB prepara-se para melhorar oferta regular já em Setembro

DEPOIS DA REDUÇÃO TARIFÁRIA os Transportes Urbanos de Braga (TUB) apostam na melhoria do serviço. Já houve linhas reforçadas e, a partir de Setembro, melhora a oferta regular nalgumas zonas.

A empresa municipal de Transportes Urbanos de Braga (TUB) prepara-se para introduzir algumas melhorias na sua oferta regular, já a partir do próximo mês de Setembro.
Algumas das alterações decorrem ainda do programa de apoio à redução do tarifário dos transportes públicos (PART) que, além da redução de 16 por cento no tarifário, implementada em Abril deste ano, prevê um investimento na melhoria do serviço.
No âmbito do PART, o Município de Braga foi contemplado com 782 mil euros, sendo que 81 por cento da verba foi canalizada para a redução do tarifário e arestante está a ser aplicada na melhoria do serviço.
Neste contexto, já foram reforçadas as linhas para o Bom Jesus, aos sábados, domingos e feriados, indica o administrador dos TUB, Teotónio dos Santos.
Na União de Freguesias de Nogueira, Fraião e Lamaçães, a aposta incide no reforço da ligação ao Hospital Privado, localizado na freguesia de Nogueira, nos dias úteis, para responder a uma maior procura.
A outra linha que está a ser reforçada com o apoio do PART é a que liga as Camélias ao Hospital de Braga, com um incremento das ligações ao fim-de-semana.
A partir do próximo mês, os TUB propõem-se melhorar a sua oferta regular incidindo nas zonas do concelho com menos serviço de transporte público, explica Teotónio dos Santos, sem concretizar, contudo, as linhas que vão ser melhoradas.
Questionado sobre o impacto da redução do tarifário, o administrador dos TUB admite que foram ainda poucos meses para sustentar uma análise detalhada e que as pessoas ainda estão a tomar conhecimento das alterações.
Mesmo assim, reconhece que “já se nota um aumento”, quer nas vendas de títulos de transporte, quer nos passageiros transportados.
Certo é que os TUB têm vindo a consolidar um aumento de passageiros nos últimos cinco anos de actividade da transportadora municipal.
Outubro será outro mês marcante para os TUB já que é o mês apontado para a empresa municipal assumir a gestão do estacionamento à superfície em Braga.

Mais pessoas vão de autocarro até à Praia Fluvial de Adaúfe

A carreira efetuada pelos Transportes Urbanos de Braga (TUB) até à praia fluvial de Adaúfe tem cada vez mais clientes.
Segundo os TUB, esta carreira tem tido um crescimento grande ano após ano desde a sua criação em 2014.
«Este ano o aumento continua e comparativamente ao ano anterior estamos com um aumento de 20%», referiu o administrador dos TUB, Teotónio Santos.
A carreira tem 65 dias de operação desde 29 de junho a 1 de setembro com viagens diárias entre as 10h00 e as 19h00.
O responsável pelos TUB afirmou que este serviço permite fazer uma valorização do território transportando as pessoas para a praia fluvial de Adaúfe.
«É um local aprazível e com todas as condições de segurança», referiu Teotónio Santos.
O serviço transporta muitos turistas, bracarenses e estudantes.
«Estamos conscientes que tem sido, desde 2014, uma aposta ganha», declarou o administrador.
Teotónio Santos adiantou que todos os anos os números de clientes têm vindo a aumentar.
«Se a procura aumenta é porque as pessoas estão satisfeitas e valorizam o nosso esforço nesta tentativa de enaltecer do território», afirmou.
A Praia Fluvial de Adaúfe tem, pelo quarto ano consecutivo, a bandeira azul.
Esta é considerada um exemplo para as outras praias fluviais do concelho. Dada a grande afluência a esta praia, o Município de Braga já anunciou que está a trabalhar para diminuir a pressão existente na Praia de Adaúfe, criando alternativas com as mesmas condições paisagísticas e de acolhimento.

Classificação do Bom Jesus influencia no número de passageiros

O facto do Santuário do Bom Jesus do Monte ter sido classificado como Património da Humanidade a 7 de julho deste ano tem tido influência em algumas linhas disponibilizadas pelos Transportes Urbanos de Braga, nomeadamente a linha do Bom Jesus.
Teotónio Santos acrescentou que, ao saber da possibilidade da classificação, anteciparam a previsível afluência de visitantes e aumentaram a oferta no decorrer do ano de 2019, aos fins de semana «para precaver essa situação».
«No início de junho fizemos uma melhoria significativa na oferta da linha do Bom Jesus, nos sábados, domingos e feridos. Fizemos bem em antecipar a situação. A procura aumentou», concluiu o administrador, em declarações ao jornal Diário do Minho.

TUB retomam circuíto turístico Braga- Bom Jesus

HOJE, os TUB retomam o circuito turístico ‘Braga e Bom Jesus Tour’, que funcionará até ao fim de Setembro. Serviço contempla oito viagens diárias.

Os Transportes Urbanos de Braga retomam hoje o circuito turístico ‘Braga e Bom Jesus Tour’. Até ao dia 30 de Setembro, será possível aos bracarenses e visitantes percorrer e conhecer a cidade de uma outra forma.

O circuito turístico, que funciona em parceria com a CARRISTUR, dispõe de oito viagens diárias, entre as 10 e as 17 horas, com uma duração aproximada de uma hora por viagem.

O circuito tem início na Avenida Central e percorre os principais pontos de interesse turístico de Braga.

No percurso destaca-se uma paragem junto ao Posto de Turismo, na zona mais central da cidade, bem como uma paragem junto ao Pórtico do Bom Jesus.

O circuito permite, ainda, fazer a ligação ao Funicular do BomJesus, à central de camionagem e à estação de caminhos de ferro.

Este serviço dispõe de um sistema áudio que está disponível em seis línguas: português, inglês, espanhol, alemão, francês e italiano.

O preço dos bilhetes é de 12 euros para adultos e 6 euros para as crianças. Grupos com quatro ou mais pessoas usufruem de desconto de 10%.

Os bilhetes podem ser adquiridos a bordo ou nos agentes identificados para o efeito.

O bilhete permite, ainda, realizar a viagem de ida e volta no Fnicular do Bom Jesus, bem como, viajar em toda a rede dos Transportes Urbanos de Braga.

“O Turismo tem uma especial relevância para o desenvolvimento socioeconómico da região e é um objectivo estratégico para a cidade, pelo que compatibilizar o transporte público com períodos de grande afluência de turistas, como acontece no Verão em Braga, representa uma grande oportunidade para os Transportes Urbanos de Braga”, refere a empresa municipal em nota à imprensa.

@Correio do Minho, 26 de junho de 2019

#TUB #Mobilidade #Sustentavel #RecortesDeImprensa

Circuito turístico liga cidade ao Bom Jesus

Os Transportes Urbanos de Braga (TUB) retomam hoje, dia 26 de junho, o circuito turístico “Braga e Bom-Jesus Tour”. Até ao dia 30 de setembro será possível aos bracarenses e a todos os que visitam Braga percorrer e conhecer a cidade de uma outra forma.

O circuito, que funciona em parceria com a CARRISTUR, dispõe de oito viagens diárias, entre as 10h00 e as 17h00, com uma duração aproximada de uma hora por viagem. O percurso turístico tem início na Avenida Central e percorre os principais pontos de interesse turístico da cidade de Braga.

No percurso destaca-se uma paragem junto ao Posto de Turismo, na zona mais central da cidade, bem como uma paragem junto ao Pórtico do Bom Jesus. O circuito permite, ainda, fazer a ligação ao “funicular” do Bom Jesus do Monte, à Estação Central de Camionagem e à Estação do Caminho de Ferro.

Este serviço dispõe de um sistema áudio que está disponível em seis línguas: português, inglês, espanhol, alemão, francês e italiano.

O preço dos bilhetes é de 12 euros para adultos e 6 euros para as crianças. Grupos com 4 ou mais pessoas usufruem de desconto de 10 por cento. Os bilhetes podem ser adquiridos a bordo ou nos agentes identificados para o efeito. O bilhete permite, ainda, realizar a viagem de ida e volta no “ funicular” do Bom Jesus, bem como, viajar em toda a rede dos Transportes Urbanos de Braga.

«O turismo tem uma especial relevância para o desenvolvimento socioeconómico da região e é um objetivo estratégico para a cidade, pelo que compatibilizar o transporte público com períodos de grande afluência de turistas, como acontece no verão em Braga, representa uma grande oportunidade para os TUB», disse fonte da Câmara Municipal de Braga.

@Diário, 26 de junho de 2019

#TUB #Mobilidade #Sustentavel

“Fundos comunitários do “Portugal 2030″ poderão financiar MetroBus de Braga”

Ricardo Rio afirma ter já falado com o ministro do ambiente

O presidente da Câmara de Braga acredita que o MetroBus, também conhecido por BRT, poderá ser financiado pelo Portugal 2030 e, desta forma, concretizar-se na cidade de Braga.
«É um diálogo que temos feito com o Ministério do Ambiente, com o ministro Matos Fernandes em particular, e é uma reivindicação que nós fizemos e uma disponibilidade que ele expressou para vir a consagrar um financiamento para esse efeito no Portugal 2030», disse Ricardo Rio em entrevista ao “TUBjornal” na sua edição especial de novembro/dezembro de 2018.
Segundo o autarca, a Câmara de Braga terá que aguardar pela entrada em vigor do Portugal 2030, esperando que nesse quadro comunitário «haja financiamento também para Braga, para um projeto dessa natureza».
Nesta entrevista, o presidente da Câmara de Braga diz também estar convencido que, atualmente, os TUB são vistos «como uma alternativa para a generalidade dos cidadãos» na utilização «das suas deslocações na cidade, pela qualidade do serviço que prestam», admitindo, contudo o problema da qualidade das viaturas. Para o autarca, o serviço qualificado dos TUB que tem seduzido os bracarenses reflete-se no serviço prestado, na proximidade e na frequência das linhas. «Nós temos, de facto, das ofertas mais qualificadas que eu conheço a nível regional e a nível, às vezes, até nacional em muitos domínios, acrescenta.
Ricardo Rio afirma que há em Braga «algumas franjas da população» que ainda não usam os transportes públicos e que não encaram os TUB como uma alternativa na utilização diária. Por isso , o autarca estabele como objetivo mostrar a estes bracarenses que podem ficar bem servidos e ficarem mesmo a ganhar se começarem a utilizar os transportes coletivos.
E, no que diz respeito aos problemas de trânsito, que muitas vezes condicionam os horários dos TUB, o presidente da Câmara de Braga aponta como solução o aligeirar a carga de trânsito nos vários pontos da cidade, uma vez que não há a hipótese de se criarem vias alternativas. «E a única forma de reduzir essa carga é uma questão quase, diria, geométrica», ou seja, «50 pessoas num autocarro ocupam substancialmente menos espaço e provocam muito menos trânsito do que 50 viaturas», sustenta, acrescentando que a solução passa, assim, por convencer as pessoas por uma maior utilização dos transportes públicos.
Nesta entrevista ao “TUBjornal”, o presidente da Câmara de Braga adianta, por outro lado, a possibilidade dos TUB virem a ter a médio prazo novas valências na área da mobilidade. Segundo explica, pretende-se que os TUB sejam «verdadeiramente, não apenas uma empresa de prestação de um serviço de transporte urbano», mas também que incorpore «outras valências».
Por fim, Ricardo Rio deixa algumas críticas em relação aos apoios do Estado, confessando-se «preplexo e revoltado» por ver que vão ser atribuídos determinados benefícios financeiros «a quem já não os praticava antes da atribuição pelo Governo». «Ou seja, é, no fundo, beneficiar o infrator», acrescenta.

Renovação da frota até 2020

O presidente da Câmara de Braga reitera a vontade de renovar a frota dos Transportes Urbanos de Braga, com a aquisição de cerca de 40 autocarros até 2020.
Na entrevista que concedeu ao “TUBjornal”, na sua edição especial de novembro/dezembro de 2018, Ricardo Rio adiantou os planos de investimento que tem traçado neste capítulo, para além da aquisição das seis viaturas elétricas já concretizada e da candidatura que irá permitr comprar mais viaturas elétricas e a gás natural comprimido.
«O nosso compromisso vai para lá daquilo que venha a ser o financiamento nessas candidaturas. E aquilo que está dentro do plano de investimentos da empresa até 2020 é uma renovação de 30 por cento da frota. Portanto, estamos a falar de quase 40 autocarros que poderão vir a ser adquiridos durante este intervalo de tempo, ou com financiamento, ou com a comparticipação direta através de contratos, por exemplo, de leasing ou de renting, que venham ser utilizados para esse efeito», afirma.

in Diário do Minho, 8 de janeiro de 2019 #TUB #Mobilidade #Sustentavel #BRT #MetroBUS

“TUB já ultrapassaram passageiros transportados no ano de 2017”

EMPRESA MUNICIPAL cumpriu, em meados deste mês, objectivo de novo crescimento anual de passageiros transportados. Meta dos 20 milhões em 2025 está mais perto mas difícil de alcançar.

Os Transportes Urbanos de Braga (TUB) deverão fechar o ano de 2018 com perto de 12 milhões de passageiros transportados. No passado dia 18 de Dezembro, a transportadora municipal ultrapassou o número de passageiros transportados em 2017: 11 659 855.

Teotónio dos Santos, administrador dos TUB, adiantou ao Correio do Minho que, a menos que se registe uma procura anormal nestes últimos dias do ano, a fasquia dos 12 milhões de passageiros não deverá ser atingida, mas ficará muito próxima.

A administração regista o facto de se manter a curva de aumento de procura dos TUB iniciada no ano de 2014. Neste período de tempo, a empresa municipal conseguiu ganhar mais 1,2 milhões de passageiros, tendo em conta que o ano de 2013 fechou com cerca de 10,2 milhões de pessoas transportadas.

A manter-se o actual nível de aumento da procura nos próximos anos, dificilmente os TUB atingirão a meta dos 20 milhões de passageiros de 2025, definido como objectivo da administração.

A transportadora municipal assumiu uma orientação da União Internacional do Transporte Público, segundo a qual, até aquela data, deve ser duplicado o investimento em transporte público e, consequentemente, o número de utilizadores.

Teotónio dos Santos reconhece que, mesmo face ao investimento na renovação da frota previsto para 2019, “não é fácil” cumprir aquele objectivo, sendo que o mesmo se mantém como indicador para os próximos anos.

Para além do crescimento do número de passageiros, a administração dos TUB prevê encerrar o exercício de 2018 com novo aumento do volume de negócios.

O próximo ano deverá ser, por outro lado, o da concretização de uma significativa renovação da frota dos TUB, caso seja aprovada a candidatura apresentada pela empresa ao Programa Operacional de Sustentabilidade e e Efi iência do Uso de Recursos (POSEUR) para a aquisição de 32 novos autocarros eléctricos e a gás natural, os quais irão rejuvesnecer a envelhecido parque de viaturas.

No corrente ano, os TUB adquiriram, seis novos autocarros eléctricos, viaturas que entraram ao serviço no passado mês de Setembro.

Em 2019

Tarifário mantém-se inalterado à espera do Programa de Redução Tarifária

Os Transportes Urbanos de Braga mantêm inalterado desde 2014 o seu tarifário. Em 2019, os preços de bilhetes e passes voltam a não aumentar, justificando a administração com a necessidade de “continuar a promover a mobilidade sustentável, a descarbonização da cidade, a captação de novos clientes e a redução da utilização do transporte individual”.

No entanto, o tarifário poderá vir a sofrer alterações caso o Governo decida aplicar no concelho o Programa de Apoio à Redução Tarifária nos Transportes Público, previsto no Orçamento de Estado de 2019. Essa ressalva consta da proposta de tarifário dos TUB para o próximo ano.

Se a regulamentação daquele Programa se aplicar a todo o território nacional, alguns passes dos TUB descerão de preço.

O Orçamento de Estado estipula que, até ao final de Janeiro, os ministérios das Finanças e do Ambiente têm de definir, em despacho conjunto, a distribuição de 83 milhões de euros pelas áreas metropolitanas e comunidades intermunicipais, tendo em conta o número de pessoas que utilizam transportes públicos ponderado pelo tempo médio de deslocação calculado nos Censos de 2011 e a “complexidade dos sistemas de transporte das áreas metropolitanas”.

in Correio do Minho, 26 de dezembro de 2018