“Tarifário de transportes a aplicar em 2021 vai poupar aos utentes 350 mil euros”

As alterações ao tarifário dos Transportes Urbanos de Braga (TUB) vão traduzir-se numa redução nominal da receita no valor de 350 mil euros, que a transportadora municipal espera compensar com o aumento do números de utilizadores, revelou ontem, em comunicado, o Gabinete de Comunicação da Câmara Municipal de Braga. O documento antecipa para o ano em curso uma queda da receita dos TUB na ordem dos 45 por cento face ao ano passado.

«Depois de registarem um crescimento contínuo do número de utilizadores e do volume de receitas desde o ano de 2014 – situação única no panorama do transporte público nacional –, os Transportes Urbanos de Braga preparam-se para encerrar o ano de 2020 com uma queda de 45 por cento da sua receita direta face ao ano de 2019, como consequência da situação pandémica que vivemos», refere a nota de imprensa.

O comunicado da Cmara de Braga acrescenta que, face ao quadro atual, «a promoção do uso do transporte público, em detrimento do transporte individual, é um dos principais desígnios da política de mobilidade urbana sustentável do Município de Braga». Nesse sentido, «os TUB vão promover uma pequena revolução no seu tarifário para 2021, tendo em vista captar novos públicos e retomar progressivamente a rota de crescimento agora interrompida».

«Em concreto, a revisão tarifária que agora se pretende concretizar assenta em dois pilares: o alargamento da gratuitidade do transporte a todos os alunos até ao 12.º ano e a eliminação da atual Coroa 2», precisa a nota de imprensa (ver notícia na página 6), precisando que «a primeira medida abarca todos os alunos do 10.º, 11.º e 12.º ano que residem a mais de 3 km dos estabelecimentos de ensino e todos os alunos do ensino obrigatório que residam a menos de 3 km dos seus estabelecimentos de ensino e que já usufruíam de um desconto de 50 por cento nos TUB.

Beneficiados serão também os alunos até ao 12º ano do ensino público ou privado que estudam em Braga e que residam noutros concelhos, sendo que estes alunos, até agora, beneficiavam de um desconto de 25 por cento. Segundo a autarquia bracarense, «ficam apenas excecionados deste regime geral de gratuitidade para os alunos até ao 12º ano, os alunos do ensino profissional, uma vez que recebem subsídio de transporte no quadro da sua formação».

Relativamente à segunda medida – eliminação da Coroa 2 – além do benefício económico direto para quase 3000 utilizadores, o Gabinete de Comunicação da Câmara de Braga assegura que «corporiza também uma simplificação do modelo tarifário dos TUB, que passa a ser composto por duas Coroas: uma para toda a zona mais urbana da cidade, onde residem cerca de 140 mil pessoas; e uma segunda para as restantes carreiras, que corresponde à atual Coroa 3.

«Deste modo, melhora- -se a perceção do tarifário, aumenta-se a facilidade de utilização e possibilita- -se uma maior mobilidade, aspetos sempre muito importantes no momento da escolha do modo de transporte por parte dos utilizadores», refere a nota de imprensa, salientando que «a concretização destas medidas tem a sua base nas condições contratuais hoje existentes», seja ao nível do financiamento do Programa der Apoio à Redução Tarifária aprovado pelo Governo, que será forçado em 2021, seja por via da celebração da contratualização do serviço de transporte com o Município de Braga.

«Estas duas medidas, traduzem-se, a números de 2020, numa perda de receita direta de cerca de 350 mil, [que será] compensada por potenciais incrementos imediatos de utilizadores não estudantes e pelo estímulo ao recurso futuro ao transporte público pela população mais jovem do concelho», resume a nota de imprensa.

in Diário do Minho, 29/11/2020 #recortesdeimprensa #TUB #mobilidade #sustentável