“Rio considera TUB «referência nacional» na operação elétrica de transportes públicos”

“Ricardo Rio apontou ontem os Transportes Urbanos de Braga (TUB) como «referência nacional na operação elétrica de autocarros de transporte público de passageiros».

Para Ricardo Rio «os TUB são um exemplo de um crescimento contínuo e sustentado ao longo dos últimos seis anos», período em que a empresa municipal« tem feito um percurso verdadeiramente notável no setor que se traduz, ano após ano, no aumento do número de passageiros, no aumento de receita, na redução de custos de operação e manutenção e nos números excecionais no desempenho e cumprimento das obrigações sem que, para isso, seja necessário penalizar os utilizadores com aumento de tarifários».

Durante o seu discurso o edil deixou claro que «esta é uma empresa verdadeiramente exemplar à escala nacional», evidenciando que «foi durante muitos anos a única empresa pública que registou um aumento do número de passageiros transportados, nomeadamente mais 21% do que os que se verificavam em 2013».

«Uma e m p r e – sa que aumentou sustentadamente o seu volume de receitas, que teve continuadamente resultados líquidos positivos, e que conseguiu mesmo inverter a situação que encontrámos em 2013 de ser uma empresa com capitais próprios negativos, para passar hoje a ter uma situação confortável desse ponto de vista», afirmou.

O autarca demonstrou ainda o seu regozijo pelo facto de podermos celebrar um contrato de serviço público de transporte de passageiros de Braga para os próximos 10 anos, realçando que não se tratou de «um gesto de favor».

«Foi um ato de justiça para com uma empresa que tem tido uma gestão extremamente rigorosa e de grande sucesso no cumprimento da missão que lhe foi confiada», sustentou Ricardo Rio.

Para o autarca este tipo de contrato de concessão de serviço público constitui «a melhor forma de servir a população e o interesse público da mobilidade na cidade de Braga».

Ricardo Rio recordou que «não foi despicienda a decisão que o Município tomou de indiretamente consignar uma receita substancial da atividade municipal, aquela que nós obtemos com a gestão do estacionamento à superfície, para financiar a atividade da empresa municipal».

O edil salientou ainda o grande compromisso que Braga tem vindo a assumir com a sustentabilidade, lembrando que a capital minhota esteve, desde a primeira hora nos projetos de implementação à escala local dos objetivos de desenvolvimento sustentável.

«Defendemos uma aposta clara na renovação da frota dos nossos transportes urbanos porque bem sabemos que também do transporte público pode resultar um benefício ambiental extremamente significativo », afirmou.

Sete novas viaturas elétricas vão circular nas linhas 74 e 96

Os sete novos autocarros vão circular nas linhas 74 (Camélias – Hospital) e 96 (Hotel Lamaçães – E.Leclerc), que no ano passado transportaram quase 1 milhão e 500 mil passageiros.

Recorde-se que estas novas viaturas elétricas integram uma candidatura aprovada ao abrigo do Programa Operacional de Sustentabilidade e Eficiência no Uso dos Recursos 2020 (POSEUR 2020), com vista à renovação da frota de veículos de transporte público coletivo de passageiros.

A candidatura respeita à aquisição de 32 novos autocarros limpos, nomeadamente sete com propulsão 100% elétrica e 25 com propulsão a gás natural, reforçando assim a já existente frota dos TUB, composta por seis veículos elétricos em circulação na cidade desde finais de 2018.

Mais de 50 mil passageiros por dia

Durante as apresentações de ontem ficou claro que a circulação dos autocarros elétricos tem gerando um impacto ambiental e económico significativo, sendo que em média os TUB transportam cerca de 50 mil passageiros num dia, operando em todas as freguesias com concelho com mais de 181 mil habitantes.

Atualmente a empresa possui 74 linhas regulares, operadas por 136 viaturas, que transportaram mais de 12 milhões de passageiros, o que representa cerca de 400 mil horas de serviço público.”

in Diário do Minho, 05/07/2020 #recortesdeimprensa #mobilidade #sustentável