“Passes sociais mais caros dos TUB vão baixar dos 42.5 para 30 euros a partir de sexta-feira”

“Os passes dos Transportes Públicos de Braga (TUB) vão sofrer uma baixa de preço significativa a partir de sexta-feira, com os passes mais caros a baixarem de 42.5 para os 30 euros mensais, numa redução geral de 30 por cento. A informação foi dada ontem por Teotónio dos Santos, administrador dos TUB, durante a reunião de Câmara de Braga, que decorreu nos Paços do Concelho.

A notícia foi transmitida na sequência de um dos pontos da agenda da reunião pública extraordinária da Câmara de Braga, que analisou e aprovou o novo Contrato de concessão de Transporte Público de Passageiros aos TUB, por um período de 10 anos, com a autarquia bracarense a desembolsar um valor superior a 60 milhões de euros.

Os responsáveis dos TUB na Reunião de Câmara, Teotónio dos Santos e Sandra Cerqueira explicaram que a redução tarifária está relacionada com o Programa de Apoio à Redução do Tarifário dos Transportes Públicos (PART), aprovado no ano passado.

Quanto ao novo contrato de concessão até 2029, os responsáveis da empresa municipal sublinharam a sua importância não só pela estabilidade tanto para a empresa e para os trabalhadores dos TUB, como também a nível das negociações com parceiros ou com a própria banca.

Aliás, este foi um dos aspetos sublinhados também por Ricardo Rio, presidente da Câmara Municipal de Braga, na reunião de Câmara de ontem, respondendo às dúvidas dos partidos da oposição.

Ricardo Rio realçou ainda outra vantagem do contrato por dez anos, que põe um travão a qualquer aspiração de algum operador privado, para além da questão do enquadramento legal, cumprindo a diretiva comunitária.

Renovação da frota já a partir de março

Sandra Cerqueira e Teotónio dos Santos falaram ainda da renovação da frota, já a partir do próximo mês de março, com a chegada de sete viaturas elétricas já no próximo mês de março; e mais 25 viaturas a gás nos próximos meses.

O administrador executivo dos Transportes Urbanos de Braga sublinhou ainda o aumento da quilometragem da empresa, com mais de um milhão de quilómetros percorridos. Teotónio dos Santos deu conta ainda da melhoria da informação e comunicação aos utentes.

Um processo que deve ficar
concluído até ao verão.

Maioria aprovou o novo contrato de concessão dos transportes públicos, mas a oposição queria mais investimento

CDU e PS queriam mais ousadia

A proposta do novo contrato de concessão de transporte público de passageiro aos TUB foi naturalmente aprovado pela maioria PSD/CDS e com abstenção do Partido Socialista e da CDU.

Na justificação do voto, Carlos Almeida, da CDU, admitiu melhorias, mas considera que faltou ousadia tanto da parte da Câmara como da administração.

«É positivo que a empresa se mantenha na esfera pública e a establidade também é positiva.

Mas esperávamos mais ousadia na renovação da frota. Era preciso mais investimento para garantir melhor segurança, maior conforto e maior qualidade dos transportes, com mais linhas e mais motoristas.

Basta dizer que um operador privado, para fazer o mesmo serviço, eram precisos mais 38 milhões de euros. Esta verba é claramente insuficiente », considera

Quanto ao PS, Artur Feio questionou também a questão da renovação da frota, que teria implicações nas emissões de carbono. Tanto mais que, por cada carro viatura que chegue há outra que vai ser abatida.

Artur Feio considera, por outro lado, que não existe uma gestão correta da política de transporte com urbanismo, apesar de serem duas áreas tuteladas pelo mesmo vereador, neste caso Miguel Bandeira.

O PS reclamou ainda uma solução definitiva da Rotunda de Infias, e não uma solução mitigada.”

in Diário do Minho, 18/02/2020 #tub #mobilidade #sustentável