Responsabilidade social levou os TUB a adoptar

PROJECTO RIOS mobiliza várias entidades, entre elas a empresa municipal de Transportes Urbanos de Braga assumindo a sua responsabilidade social.

A 14 de Setembro, a empresa municipal de Transportes Urbanos de Braga (TUB) mobiliza os seus colaboradores para mais uma acção de limpeza do Rio Este. No quadro da sua responsabilidade social, a transportadora municipal adoptou um dos troços do Rio Este com maior visibilidade, já que atravessa a zona urbana. Trata-se do troço entre a ponte de São João até ao Altice Forum Braga, junto ao pólo de Braga do IPCA, na União de Freguesias de S. Lázaro e S. João do Souto.

As acções de limpeza, pelo menos uma por ano, contam com o apoio do Clube Recreativo do Pessoal dos TUB (CRPT), sendo objectivo envolver o maior número possível de colaboradores e até a comunidade.

Vânia Barbosa e Cristina Gago fizeram formação específica e têm assumido a componente mais técnica de monitorização do troço de rio adoptado pelos TUB e apontam que “é um projecto mobilizador, mesmo para os colaboradores”.

Duas vezes por ano, as duas colaboradoras do TUB fazem a monitorização daquele troço de água, através da recolha e registo de dados físico-químicos e biológicos.

Sempre que vão ao terreno, Vânia e Cristina são abordadas por populares que aproveitam para fazer denúncias e/ou sugestões, sempre em nome da preservação do rio.

Como adoptante desde 2015, uma das iniciativas dos TUB foi uma plantação de árvores ao longo da margem na tentativa de ajudar à conservação deste ecossistema ribeirinho.

Além da acção de limpeza anual, as próximas saídas de monitorização serão aproveitadas para acções de “plogging” revela Vânia Barbosa, apontando para a recolha de todo o tipo de resíduos no troço em causa.

Cristina Gago admite que “não é fácil conjugar com a actividade empresarial”, mas sinaliza “o envolvimento progressivo dos colaboradores e até de estagiários que passam pelos TUB”.

Além da componente mais técnica, as duas colaboradoras destacam o convívio que se gera nas acções de limpeza e mesmo de monitorização do rio, evidenciando o impacto deste projecto “dentro e fora da empresa”.