TUB renovam frota com autocarros amigos do ambiente

TUB renovam frota com autocarros amigos do ambiente

Os Transportes Urbanos de Braga apresentaram, ontem, seis autocarros elétricos novos, num investimento de três milhões de euros. Este é mais um passo na promoção da mobilidade “verde” e naquele que é o objetivo da empresa municipal de transportes de chegar a 2020 com um terço da frota renovada.

Financiados em 47 por cento pelo PO SEUR – Programa Operacional Sustentabilidade e Eficiência no Uso de Recursos, os primeiros seis autocarros movidos a eletricidade foram apresentados no parque de materiais e oficinas do TUB com a presença do secretário de Estado Adjunto e do Ambiente, José Mendes, entre outros convidados.

As novas viaturas, da marca Caetano, vão permitir o “abatimento” de seis autocarros mais antigos, alimentados a diesel, e marcam o início da renovação “limpa” da frota dos TUB que é constituída por 142 autocarros com a idade média de 18 anos.

«Este não é um ponto de chegada, é um ponto de partida, pois vamos adquirir mais 30 autocarros elétricos e a gás natural até 2020», disse, na altura, o presidente da Câmara de Braga.

Ricardo Rio salientou que este «primeiro grande investimento de há vários anos em viaturas novas por parte dos TUB» vai contribuir para a «descarbonização» da cidade e para a melhoria da qualidade do serviço, do conforto e fiabilidade dos TUB.

Os aucocarros começam a circular hoje de forma experimental. Uma das viaturas está estacionada na Avenida Central durante os próximos dias para que os munícipes possam conhecer estes novos veículos e, paralelamente, há circuitos experimentais gratuitos, partindo daquela artéria às 10h00, 11h00, 14h00 e 15h00. Na próxima semana são introduzidos progressivamente nas linhas entre a estação da CP e a Universidade do Minho e entre a estação da CP e o Hospital de Braga, informou Teotónio dos Santos, administrador executivo dos TUB.

Com a renovação da frota não está previsto a redução das tarifas de transporte da empresa municipal. Ricardo Rio diz que a poupança que será obtida em combustíveis (cerca de 50 euros por cada 100 Km) será para a aquisição de mais autocarros novos.

«Se tivermos uma comparticipação mais alargada do Estado central, aí sim, poderemos ter, eventualmente, condições para fazer refletir no preço praticado aos consumidores essa baixa do custo», disse.

O presidente da Câmara de Braga considerou este um momento de «particular felicidade no caminho dos TUB», empresa que, realçou, está na «vanguarda da inovação e tecnologia», mercê das parcerias com empresas instaladas no território do concelho como, por exemplo, a IBM, a Cisco ou a Bosch.

«É uma empresa que tem procurado também qualificar-se ao nível dos recursos humanos e dotar esses recursos humanos da formação necessária para estar na vanguarda de cada uma das áreas de gestão, e depois é uma empresa também muito comprometida com a comunidade em vários domínios», acrescentou Ricardo Rio.

Falando da vocação da empresa enquanto prestadora de serviço público, o autarca considerou que os bracarenses têm confiado cada vez mais nos TUB.

Prova disso é o crescimento do número de passageiros em cerca de 14 por cento nos últimos quatro anos e o aumento das receitas em 10 por cento, graças a um desempenho feito com «muito sacrifício e rigor».

TUB aguardam mais verbas para renovação da frota

O presidente da Câmara de Braga admitiu ontem que a continuação da renovação da frota dos TUB está dependente de financiamento externo. «A empresa dos Transportes Urbanos de Braga, apesar do seu desempenho positivo, do crescimento do volume de receitas, do aumento do número de passageiros e de ter resultados líquidos positivos, vive numa margem de folga muito apertada e os recursos de que dispomos estão praticamente todos alocados para a componente da operação», declarou aos jornalistas. O autarca notou que face aos objetivos ambiciosos da empresa municipal de transportes «é importante que haja apoios do Estado e financiamento comunitários» para «facilitar e acelerar a concretização do processo de renovação da frota» dos TUB. Ricardo Rio espera que a empresa, além de verbas do PO SEUR, possa vir a receber financiamento de outros meios. TUB vão construir um novo parque de materiais e oficinas num terreno contíguo às atuais instalações. O projeto está a ser trabalhado e deverá ser candidatado a um instrumento financeiro com taxas de juro bonificadas.

RENOVAÇÃO DA FROTA «É REAL, NÃO É UM SONHO»

Renovação

O presidente do Conselho de Administração dos TUB, Firmino Marques, referiu que este passo foi dado de «forma sustentada» para que a renovação da frota dos TUB pudesse ser «real e não um sonho». O responsável aproveitou para divulgar alguns números da atividade da empresa que transporta em média 50 mil pessoas por dia, num concelho com cerca de 181 mil habitantes. Com uma frota de 142 autocarros, a empresa municipal de transportes registou o ano passado 11.659.855 passageiros transportados num total de 563.868 viagens nas 74 linhas existentes no concelho.

Entre 2013 e 2017 verifica-se um aumento de 14 por cento no número de passageiros transportados e mais 10 por cento em receitas de venda de títulos.

Governo estuda valor dos apoios para tarifários

O secretário de Estado Adjunto e do Ambiente, José Mendes, indicou ontem, à margem da apresentação de seis autocarros elétricos dos Transportes Urbanos de Braga, que o Governo está a estudar o modelo de distribuição dos apoios aos tarifários dos transportes em todo o território nacional.

«Estamos neste momento a trabalhar o modelo e quanto será o apoio que pode ser mobilizado no sentido de posteiormente ser canalizado», disse José Mendes, acrescentando que a decisão tem que ser tomada ao nível das autoridades de transporte, sejam municipais ou intermunicipais.

O governante assegurou que a ajuda será transversal, mas avisou que os recursos «são escassos».

A estimativa só para a área metropolitana de Lisboa é de cerca de 165 milhões de euros.

«É preciso olhar para esse conjunto e ver se ainda é possível colocá-lo no Orçamento de Estado para 2019», acrescentou.

O governante falava aos jornalistas depois de o presidente da Câmara de Braga voltar à carga em relação a este assunto, afirmando que «não é possível adiar mais» a resolução das «assimetrias» que se verificam no José Mendes assegurou que apoio para tarifários dos transportes será transversal país a nível dos apoios ao tarifário dos transportes públicos.

«Há décadas que há um tratamento discriminatório das áreas metropolitanas (Lisboa e Porto) relativamente ao resto do território», lembrou, defendendo a «concretização de correções que possam mitigar essa realidade».

No seu discurso, na cerimónia de apresentação dos autocarros dos TUB, o secretário de Estado assinalou que o objetivo de coesão territorial e de descarbonização não se consegue deixando de fora o resto do país.

José Mendes expressou ainda a sua «satisfação» e «orgulho» por os TUB mostrarem inovação e terem a capacidade de se renovarem, e lembrou que o segundo aviso do PO SEUR tem mais 19 milhões de euros, estando as candidaturas abertas até 12 de outubro.

Destaque
Estes seis autocarros elétricos têm uma autonomia para cerca de 150 Km e vão permitir uma poupança em combustível fóssil na ordem dos 75 por cento, disse o administrador executivo dos TUB Teotónio dos Santos. Como não poluem, as viaturas vão evitar a emissão de 253,24 toneladas de CO2 por ano por comparação com os veículos a diesel abatidos.

Apoio do PO SEUR traduz-se em cerca de 200 mil euros por cada autocarro elétrico e em 100 mil euros por cada autocarro a gás.

Secretário de Estado Adjunto e do Ambiente visitou também o posto de carregamento dos autocarros dos TUB.

TUB têm a perspetiva de transportar 20 milhões de passageiros num horizonte próximo

in Diário do Minho, 19/09/2018