“TUB vão investir 19,4 milhões em instalações e novos autocarros”

“Os investimentos já definidos pelos Transportes Urbanos de Braga vão ultrapassar os 19 milhões de euros, no próximo quadriénio. Só para a renovação da frota estão calendarizados quase 14 milhões de euros.”

“Os números são avançados pelo Conselho de Administração da empresa municipal no Plano Plurianual de Investimentos para o quadriénio 2018-2021. O maior volume dos investimentos será concentrado em 2020, ano em que os Transportes Urbanos de Braga (TUB) vão canalizar 7 milhões de euros para a modernização da frota de transporte coletivo de passageiros. O ano de maior investimento do quadriénio fica ainda marcado pela afetação de 1,5 milhões à construção e requalificação de edifícios.

O Plano de Investimentos reserva ainda 50 mil euros para a modernização de equipamento informátoco.

O esforço financeiro de 19 milhões 361 mil 173 euros na renovação do parque de autocarros e do edificado arranca já no próximo ano. O orçamento da transportadora municipal reserva 150 mil euros para obras de requalificação da sede dos TUB e 211 mil 673 euros para a aquisição de programas informáticos.

Mas é para a renovação da frota que vai a “fatia de leão” que a transportadora municipal destina aos investimentos. São 2 milhões 850 mil euros que vão para a aquisição de seis viaturas com eficiência energética, no âmbito de uma candidatura já aprovada pelo Programa Operacional Sustentabilidade e Eficiência no Uso de Recursos.

O ano de 2019 deverá ficar marcado pela concretização de 5 milhões e 50 mil euros de investimentos. Para edifícios e outras construções vão 2 milhões de euros, montante que abre portas à construção do futuro Parque de Material e Oficinas.

O processo, que vai viabilizar a regeneração urbana de toda a Quinta de Santa Maria e a construção do avançado Edifício Raul Mesnier (ver peça abaixo), prossegue em 2020 e 2021. Em cada um desses anos, os TUB vão afetar 1,5 milhões de euros a esse projeto, que vai exigir um esforço financeiro global de 5 milhões 150 mil euros.

Depois dos 2,8 milhões que recebe em 2018, o programa de renovação da frota os TUB arrecadam mais 3 milhões em 2019. O investimento na aquisição de novos autocarros dispara para 7 milhões, em 2020, estando ainda previstos investimentos de um milhão de euros em 2021.”

“Para o Conselho de Administração dos TUB, os investimentos previstos para o ano 2018 e seguintes visam manter o dinamismo da empresa, sem que isso coloque em risco o equilíbrio económico e financeiro da transportadora municipal. A afetação de mais de 19 milhões de euros à aquisição de uma frota moderna e à construção de edifícios equipados com tecnologias de ponta é assumida como uma necessidade de preparar o futuro da mobilidade e responder às necessidade dos utentes da transportadora.”

“Novas instalações vão possibilitar revolução na transportadora municipal”

“O avanço dos Transportes Urbanos de Braga (TUB) para a construção de novas instalações modernas e mais eficientes é apontado pelo Conselho de Administração como um processo essencial para a entra da transportada municipal na «4.ª revolução industrial », vulgarmente designada de “revolução 4.0″.

O grande avanço será proporcionado pelo Edifício Raul Mesnier. «Este edifício contemplará uma área administrativa, uma área social e uma área oficinal. Será monitorizada a localização dos autocarros, a contagem da entrada e saída de passageiros e será possível a comunicação entre o centro de controlo instalado no edifício Raul Mesnier e o motorista, assim como a ligação ao autocarro, de modo a retirar diversos dados», refere o Conselho de Administração dos TUB na introdução aos Instrumentos de Gestão Previsional 2018-2021.

A equipa liderada pelo vice-presidente da Câmara Municipal de Braga, Firmino Marques, precisa que dados como o funcionamento das carreiras, velocidade a que circulam os autocarros, consumos ou deteção de avarias são informações que o centro de controlo a instalar no edifício vai conseguir ter em tempo real.

Paralelamente, os percursos das carreiras serão dotados de tecnologias capazes de medirem a mobilidade, por forma a que se minimizem interrupões dos fluxos prioritários e seja possível fazer uma gestão inteligente da frota.

«Tudo isto já está em curso com parcerias estratégicas com a IBM, a Bosch e a Siemens », precisa a administração de Firmino Marques, assumindo também que «a renovação do Parque de Materiais e Oficinas é fundamental», até porque «as [atuais] oficinas carecem de novas tecnologias e de recursos humanos com outra qualificação.”

in Diário do Minho, 28/12/2017 #TUB #mobilidade #sustentavel #recortesdeimprensa