“Projeto pioneiro dos TUB vai permitir melhorar a resposta comercial”

dm161125-7

“IDEIAS FORAM APRESENTADAS ONTEM DURANTE A QUINTA EDIÇÃO DA “TEC TALKS”, ORGANIZADA PELA PRIMAVERA BSS”

“Melhorar a resposta comercial e facilitar a tomada de decisões sustentadas em diversos dados sobre as viaturas e os hábitos dos clientes são os grandes propósitos de um projeto pioneiro que os Transportes Urbanos de Braga (TUB) estão a testar no concelho.

A ideia foi ontem apresentada em primeira mão pelo seu coordenador, Rui Martins, durante a quinta edição da “Tec Talks”, que decorre até hoje nas instalações da Primavera BSS, subordinado ao tema “BrainFusion”. Na ocasião, deu conta das diversas vantagens daquilo a que chamou “Connected BUS”.

Uma delas é o acesso à internet a bordo dos autocarros, permitindo ao passageiro rentabilizar o tempo despendido durante as viagens, podendo trabalhar ou simplesmente utilizar o “wifi” em lazer. O “login” é feito através das redes sociais ou de um registo via “email” ou contacto telefónico.

Este é um serviço que, neste momento, apenas se encontra disponível na carreira 94, que liga a Ponte Pedrinha a Montélios, mas que os TUB pretendem alargar a todas as outras. Segundo Rui Martins, há cerca de três semanas que existe uma plataforma «totalmente estável». O alargamento aos outros autocarros ainda não tem data definida e irá depender do sucesso deste teste.

Para o responsável, este projeto acaba por oferecer «imenso valor» não só à gestão dos TUB como também aos utilizadores, sendo este «o principal objetivo».

Por outro lado, a geolocalização, que permite saber onde se encontra cada uma das viaturas, o seu percurso, velocidade, sentido e o tempo que demoram a chegar às paragens. Desta forma, é possível retirar valor na gestão interna e melhorar a qualidade do serviço prestado, já que o próprio cliente consegue saber em tempo real se o autocarro está atrasado ou não e qual o tempo de espera restante.

O projeto compreende ainda a parte da telemetria, que informa sobre a mecânica do autocarro, desde dados sobre o motor (temperatura, rotações e velocidade, entre outros pormenores) a possíveis avarias que possam surgir. Isto permite adotar «uma atitude ativa em termos de manutenção das viaturas», explicou Rui Martins, vincando que a informação disponibilizada permitirá mudar «por completo» toda manutenção do ponto de vista tradicional. Isto traz também benefícios ao nível dos gastos da empresa, já que ajuda a adequar melhor os autocarros à procura e às condições a que se destina.

«Imagine-se que em meio milhão de quilómetros conseguimos reduzir um litro a cada cem quilómetros feitos. São muitos litros e muitos euros a menos em termos de fatura », exemplificou.

A sensorização ambiental é outro dos parâmetros incluídos neste projeto dos TUB, permitindo avaliar o conforto a bordo da viatura. Para o efeito, são levantados dados sobre o autocarro, como a pressão, humidade e dióxido de carbono, que serão utilizados também na avaliação do ambiente externo.

«Como temos uma cobertura muito grande em termos de concelho, vamos conseguir criar um mapa de poluição, seja ele de ruído ou ambiental, e vamos também ajudar outras entidades municipais a avaliarem o impacto que certas situações têm», explicou o coordenador.

A contagem de passageiros também é um indicador importante que os TUB pretendem melhorar, uma vez que apenas têm acesso ao número dos que embarcam nos autocarros, mas não sabem qual a paragem de destino. Isto será útil no sentido de adequar os destinos, melhorando assim a resposta comercial.

Uma outra grande vantagem deste projeto vincada por Rui Martins prende-se com o facto de toda a informação poder ser consultada “online”, em tempo real, por um gestor ou elemento da administração.

Como exemplo, o responsável falou de um dia com jogo de futebol em que é necessário reforçar a oferta. Num caso como este, a adequação poderia ser feita «quase instantaneamente, o que é extremamente interessante em termos de resposta comercial porque permite-nos oferecer aquilo que é realmente necessário e criar valor em várias áreas como a da manutenção, gestão do cliente e prevenção», vincou.”

Diário do Minho, 25/11/2016 #TUB #IBM #Mobilidade #Urbana #Sustentável #Braga