“Rede de transportes em S. Tomé pode ser «oportunidade» para empresas de Braga”

DM_05042016_2

“Os Transportes Urbanos de Braga (TUB) entregaram ontem, ao presidente da Câmara Distrital de Água Grande, o estudo para a implementação de uma rede de transportes públicos em S. Tomé e Príncipe.”

“A implementação em S. Tomé e Príncipe da rede de transportes públicos recentemente projetada pelos TUB poderá constituir uma «janela de oportunidade » para várias empresas de Braga.

A possibilidade foi anunciada por Ricardo Rio, presidente da Câmara Municipal de Braga, ontem, à margem da cerimónia de entrega do estudo.

«Abrimos aqui uma janela de oportunidade para a colaboração com várias empresas bracarenses na implementação deste projeto», disse. Já na cerimónia formal tinha referido que a concretização deste plano constitui «uma oportunidade muito importante para o tecido económico de Braga », pelo que «muitas empresas » locais «poderão ter uma palavra a dizer».

A “janela de oportunidade” foi também referida pelo presidente da Câmara Distrital de Água Grande, Ekeneide Lima dos Santos, segundo o qual irá ser preparado um caderno de encargos para abrir o concurso público internacional, ao qual Portugal poderá concorrer.

A par da oportunidade que pode constituir para as empresas de Braga, Ricardo Rio vincou ainda que este projeto «é um bom exemplo de que a nossa estratégia de internacionalização não se fica pelas intenções». «Conseguimos desenvolver um projeto de consultoria extremamente importante para Água Grande e vários outros municípios que irão ser servidos por esta rede de transportes públicos», disse, considerando que o «sucesso » desta ação abrange todos os envolvidos. Por isso, esta é uma estratégia que a autarquia quer «estreitar e alargar» a outros municípios a nível internacional.

Também Teotónio Santos, administrador dos TUB, vê com agrado a realização deste tipo de projetos noutros países, sendo que Bissau poderá ser o seguinte. «Esteve aqui em Braga, há cerca de 15 dias, o presidente da Câmara de Bissau que nos falou das suas lacunas ao nível dos transportes. Fizemos um resumo do que estamos a fazer em S. Tomé e Príncipe e também se mostrou interessado», explicou, à margem da cerimónia de ontem.

O projeto de implementação da rede de transportes públicos em S. Tomé e Príncipe, com ligações interurbanas a outros distritos, inclui ainda a definição de tarifários, sistemas de bilhética e de ajuda à exploração para monitorizar, a construção de um Parque de Materiais e Oficinas (PMO), o modelo de gestão a ser adotado e o plano de negócios de viabilidade económica. «No fundo, foi criar um projeto de A a Z de maneira a que possa funcionar», esclareceu Teotónio Santos.

Até à data, já houve tentativas para implementar três sistemas de transportes públicos em S. Tomé e Príncipe, mas todos eles acabaram por falir, pelo que, atualmente, «as pessoas deslocam-se a pé ou de táxi». Muitas delas, entre as quais crianças, veem-se obrigadas a percorrerem vários quilómetros a pé, em ruas sem qualquer iluminação, para poderem frequentar a escola ou ir trabalhar.

Daí o caráter urgente deste projeto que Ekeneide Lima dos Santos pretende implementar ainda este ano.
Para a próxima fase, os TUB deixaram várias recomendações, entre as quais que o investimento seja faseado, permitindo uma diminuição dos custos que, «na pior das hipóteses », ascendem aos 20 milhões de dólares.

«Podemos comprar viaturas todas novas, mas não faz sentido porque depois vamos ter um período de substituição para todas ao mesmo tempo. Faz sim sentido criar um PMO, mas este também não tem de ser construído de uma vez só», exemplificou o administrador dos TUB.

Presente na cerimónia de entrega do projeto, o presidente da Câmara Distrital de Água Grande aproveitou para agradecer em nome da população a colaboração dos TUB e da Câmara de Braga na elaboração do projeto. «A mobilidade rodoviária sempre foi um problema para nós. Já tivemos muitos modelos de gestão que não foram suficientemente bem geridos e, neste momento, continuamos a falhar nesta matéria», disse.

Ekeneide Lima dos Santos esclareceu ainda o motivo da aposta em Braga, cidade com a qual já tem vindo a estabelecer outras parcerias, nomeadamente com a EPB.

«Procuramos Braga por ser uma referência ao nível dos transportes públicos em Portugal e não só, portanto entendemos que poderia transmitir experiência », disse.

A implementação do projeto será supervisionada pelos TUB.”

in Diário do Minho, 05/04/2016 #TUB #Braga #Mobilidade #Mundo #RecortesdeImmprensa