TUB ESTUDA SISTEMA DE MOBILIDADE EM ESTRASBURGO

gazetarossio2

OS TRANSPORTES URBANOS DE BRAGA (TUB) ESTÃO A ESTUDAR OS INTERFACES ENTRE O TRANSPORTE COLETIVO E O INDIVIDUAL E A MOBILIDADE CICLÁVEL E PEDONAL DA CIDADE DE ESTRASBURGO, COMO EXEMPLO A SER UTILIZADO EM BRAGA.

O Gabinete de Estudos dos Transportes Urbanos de Braga vai realizar uma ação de benchmarking na cidade de Estrasburgo, que com cerca de 270 mil habitantes, é reconhecida pelas boas práticas de políticas públicas na área da Mobilidade. A ação servirá para estudar o BUS Rapid Transit (BRT), ou seja os interfaces entre o transporte coletivo e o transporte individual (colocando estrategicamente os parques de estacionamento na periferia da cidade) e a mobilidade ciclável e pedonal.

Através de um Protocolo de Cooperação entre a Câmara Municipal de Braga e a Mairie de Estrasburgo, apoiado pela Direção-Geral das Autarquias Locais, este estudo inicia-se em já no próximo mês e prolonga-se para 2016.

Com esta ação, os TUB pretendem aumentar o seu conhecimento, de forma a lançar o BRT no ‘Estado da Arte’, com vista a oferecer um serviço de excelência aos utilizadores da cidade de Braga.

Os interfaces com parqueamento para o automóvel na periferia da cidade de Estrasburgo é um exemplo de uma estratégia bem-sucedida e muito semelhante ao que a Câmara de Braga pretende fazer, designadamente com os interfaces do Novainho e de Ferreiros contemplados no Plano Diretor Municipal (PDM). Esta estratégia em Estrasburgo levou a uma importante redução de automóveis no centro da cidade, deixando espaço para os peões, bicicletas e transporte coletivo.

Também o Velhop de Estrasburgo, um sistema de bicicletas partilhado (bikesharing) da Companhia de Transportes de Estrasburgo (CTS), será um elemento da mobilidade a ser estudado, uma vez que está a ser projetado um sistema semelhante para a cidade de Braga.

A execução do BRT, dos interfaces na periferia da zona urbana da cidade e de um sistema de bicicletas partilhado na cidade bracarense são determinantes para Braga atingir as metas a que se comprometeu no seu PDM de reduzir em 25% o número de automóveis a circular na cidade, duplicar o número de utilizadores do transporte público e atingir os 10 mil utilizadores regulares de bicicleta.

Gazeta do Rossio