“TUB congelam tarifários e aumentam benefícios”

TR_142_resumo-2

“Pelo segundo ano consecutivo, a administração dos TUB – Transportes Urbanos de Braga submeteu uma proposta à Câmara Municipal de Braga que prevê o “congelamento dos valores tarifários” para 2015 e ainda propõe “o alargamento de benefícios em algumas das modalidades praticadas”.

Estes “benefícios”, que resultaram de “uma otimização da gestão”, revela a autarquia de Braga, consistem na redução em 20 cêntimos do bilhete de bordo com transbordo, bem como uma redução de 50 por cento no custo do cartão de passe, que passa de seis para três euros.

O custo do cartão pré-comprado irá também ser reduzido em 30 por cento, passando dos atuais um euro e quarenta cêntimos para o preço de um euro. Mantêm-se, ainda, os descontos aos estudantes, aos reformados, aos deficientes e aos munícipes carenciados, entre outros. Estão também previstas para o próximo ano melhorias ao nível do serviço prestado ao cliente mais concretamente na rede de transporte bem como na rede de vendas, melhorando a oferta em termos de rede e de área de rede comercial. Estas medidas surgem no seguimento do contrato programa para 2015, recentemente aprovado em reunião do executivo municipal, cujo montante ascende a cerca de 4,8 milhões de euros.

Os Transportes Urbanos de Braga (TUB) deverão terminar 2014 com um crescimento de passageiros de cerca de 0,8 por cento, segundo a administração da transportadora. Com este crescimento no número passageiros transportados em 2014, os TUB contrariam, assim, a tendência, que se vinha a registar nos últimos dez anos, de perda de passageiros. Segundo o site menosumcarro, a empresa já tinha ultrapassado em novembro o total de passageiros transportados em todo o ano anterior (10,25 milhões) e já acrescentou cerca de 70 mil passageiros ao registo homólogo. Baptista da Costa, administrador dos TUB, esclarece o resultado positivo referindo que “é a promoção que dá resposta a isto”, salientando ainda que “temos que ser capazes de dar novos motivos às pessoas para que elas tenham vontade de usar os TUB”. A aposta no reforço dos serviços, com maior frequência de autocarros, prolongamento de linhas e a criação de novos serviços justificam, para Baptista da Costa, uma maior procura. Contudo, o responsável admite que é necessário continuar a melhorar o desempenho dos TUB, seja através da renovação de frotas ou de um novo traçado para as linhas, articulado com as necessidades dos cidadãos.”

in Transportes em Revista, dezembro 2014 janeiro 2015