Arquivo da Categoria: Recortes de imprensa

“TUB premiou fidelidade dos clientes”

“TUB NAMORADOS voltou, este ano, a premiar os clientes da transportadora municipal de Braga, sorteando os três prémios entre aqueles que validaram o seu passe mensal, no dia 14 de Fevereiro.”

“Dois perfumes, uma refeição para dois e uma estadia de duas noites com pequeno-almoço são os três prémios com que a empresa municipal de Transportes Urbanos de Braga (TUB) ‘mimou’ outros tantos clientes em mais um concurso ‘TUB Namorados’.

Na edição deste ano, o concurso voltou a cumprir o objectivo de premiar os clientes da transportadora municipal ao sortear os vencedores, de forma aleatória, entre quem validou o seu passe mensal no dia 14 de Fevereiro.

Os prémios foram entregues ontem, numa sessão que juntou os responsáveis da TUB, a Associação Comercial de Braga, como entidade parceira, e os patrocinadores do concurso. Albertina Teixeira Araújo foi a vencedora do 1.º prémio – uma estadia de duas noites com alojamento e pequeno-almoço no Aldeamento Pousadela Village, localizado em Louredo, concelho de Vieira do Minho.

Jessica Alexandra Henriques Correia ganhou o 2.º prémio: uma refeição para duas pessoas na marisqueira ‘O Rochedo’.

O 3.º prémio – que corresponde a um perfume para homem e outro para mulher – foi para Ângela Fernandes Coelho.

O presidente do Conselho de Administração dos TUB, Firmino Marques, agradeceu aos patrocinadores do concurso e elogiou os clientes que “deram uma demonstração de fidelidade ao transporte público.

Para Firmino Marques, “os TUB são hoje uma realidade incontornável do transporte público e inclusivo” e, no Dia dos Namorados, não se esqueceram da pedagogia e promoveram o respeito no namoro com uma encenação, a bordo de um autocarro, a cargo do projecto ‘Tetris’, do Centro Cultural e Social Santo Adrião.

O presidente da Associação Comercial de Braga, Domingos Macedo Barbosa, congratulouse com mais esta parceria com os TUB. “Estamos sempre desejosos de criar sinergias para desenvolver a ideia de uma cidade amiga de toda a gente para fazer cidade em conjunto”, o que passa pela aliança entre comércio local e transporte público.”

in Correio do Minho, #19/02/2019 #recortesdeimprensa #TUB#mobilidade #sustentável

“TUB e ACB entregam prémios do concurso “TUB Namorados”

“A Associação Comercial de Braga (ACB) e os Transportes Urbanos de Braga (TUB) entregaram, ontem,os prémios do concurso “TUB Namorados” a três clientes que, no passado dia 14 de fevereiro, foram escolhidos através de um sorteio aleatório, quando viajavam nos autocarros dos TUB.

Num dia dedicado aos afetos, os TUB quiseram assim premiar os clientes que diariamente demonstram a sua preferência pelos transportes coletivos de passageiros bracarenses, e recorrendo à sua base de dados, selecionaram aleatoriamente três passageiros.

O primeiro prémio, que consistiu numa estadia de dois dias para duas pessoas, com pequeno- -almoço, no aldeamento Pousadela Village, em Vieira do Minho, foi entregue a Albertina Teixeira Araújo, de Braga, que por impossibilidade de estar presente na sessão, foi representada por Jorge Sá.

O segundo prémio, uma refeição para duas pessoas na Marisqueira O Rochedo, foi atribuído a Jéssica Correia, que se fez representar por Dora Fernandes.

Por último, o terceiro prémio atribuído consistiu num perfume para homem e outro para mulher da marca Yntenzo, que foi atribuído a Ângela Coelho, de Braga.

Durante a sessão oficial de entrega dos prémios, o presidente do Conselho de Administração dos TUB, Firmino Marques, realçou que «neste dia que representa fidelidade, os TUB quiseram premiar aqueles que tiveram fidelidade aos transportes públicos». Nesse sentido «a “seta do Cupido” distinguiu três dos que optam por utilizar um transporte inclusivo e público».

Recordando que no Dia dos Namorados os autocarros foram ornamentados com temas alusivos à temática dos Lenços dos Namorados, Firmino Marques fez questão de recordar que também naquele dia decorreu nos autocarros uma ação de sensibilização contra a violência no namoro, que alertou os passageiros dos TUB contra este flagelo na sociedade.

No que respeita em concreto aos prémios ontem entregues, Firmino Marques destacou a qualidade dos mesmos, bem como a disponibilidade dos empresários associados da ACB para apoiarem a iniciativa.

O também vice-presidente da Câmara Municipal de Braga realçou ainda que «mesmo não sendo beneficiários diretos do Estado», os TUB «continuam a fazer a sua parte de maneira a permitir o transporte rápido e seguro dos passageiros».

Nesse sentido, o presidente do Conselho de Administração dos TUB destacou o recente investimento de 10 milhões de euros na renovação de uma frota de 25 autocarros a gás natural comprimido e sete elétricos, investimento este que permitirá melhorar a mobilidade e o conforto dos passageiros e simultaneamente diminuir a pegada ecológica.

Por seu turno, o presidente da ACB, Domingos Macedo Barbosa, destacou o facto desta iniciativa se inserir na estratégia de criação de sinergias entre as várias entidades da cidade, gerando condições para um aumento de qualidade de vida para os bracarenses e para os turistas que nos visitam.”

in Diário do Minho, #19/02/2019 #recortesdeimprensa #TUB #mobilidade #sustentável

“TUB a liderar a mobilidade em Braga”

“No próximo dia 22 de fevereiro, a Assembleia Municipal vai apreciar a proposta do executivo de delegar nos Transportes Urbanos de Braga a gestão do estacionamento pago à superfície na cidade.

Com a mais que previsível aprovação assegurada pelos deputados eleitos pelos partidos que suportam a coligação “Juntos por Braga”, os TUB substituirão, assim, a Polícia Municipal na fiscalização do estacionamento, depois do Município ter resgatado a concessão, em 2018, à ESSE.

A solução encontrada é, sem dúvida, a que melhor serve os interesses dos cidadãos e assenta, na minha opinião, em 6 aspetos fundamentais:

1 – Integração e coerência nas políticas de mobilidade. Ao concentrar nos TUB um conjunto de atribuições fundamentais no âmbito da mobilidade, o Município garante, para além da racionalização de recursos e melhor aproveitamento das sinergias geradas entre os diferentes equipamentos e atividades, uma maior integração e coerência nas políticas de mobilidade da cidade, evitando a desarticulação que possa decorrer de ter diversos protagonistas a intervir no processo de planeamento e gestão da mobilidade.

2 – Eficácia e eficiência na operação. Ao delegar numa empresa municipal a gestão do estacionamento pago à superfície, o Município garante, também, um racional diferente na gestão do processo – uma visão empresarial -, o que, em princípio, assegurará níveis de eficácia e eficiência distintos daquilo que é habitual encontrar nos serviços municipais das autarquias.

Por outro lado, os TUB, pela sua dimensão e agilidade processual, acrescentarão uma maior flexibilidade e instantaneidade na capacidade de resposta a qualquer eventualidade, o que beneficiará a qualidade do serviço ao nível da fiscalização.

3 – Capacidade de regular o mercado.

Esta solução permite ao Município manter a capacidade de estabelecer o preço do estacionamento à superfície, podendo, deste modo, fazer uso desta prerrogativa para promover a competitividade do centro da cidade face a outras áreas/zonas comerciais ou para regular o mercado do estacionamento em Braga.

4 – Contributo para a sustentabilidade da empresa. Segundo os dados veiculados pela imprensa, a exploração do estacionamento pago à superfície, sob a alçada do Município, tem gerado receitas na ordem dos 600 mil euros / ano, o que constitui uma receita assinalável para os TUB e para a sua sustentabilidade económico-financeira.

A esta empresa municipal coloca-se, naturalmente, o desafio de fazer mais e melhor, de forma a garantir um serviço de estacionamento à superfície de melhor qualidade, o que originará, de forma consequente, um aumento da receita arrecadada, que, estimo, pode ascender a cerca de 1 milhão de euros / ano.

5 – Uso mais reprodutivo dos valores cobrados. A receita decorrente desta delegação de competências na TUB irá aumentar, também, a previsibilidade e constância nos meios libertos pela operação global desta empresa municipal, o que lhe permitirá tornar-se mais capaz e independente na assunção de investimentos estratégicos na área da mobilidade. É, por isso, de esperar um uso mais reprodutivo da receita arrecadada, devendo mesmo a Administração dos TUB assumir um compromisso com a cidade de reinvestir uma parte significativa dos lucros desta operação em projetos de promoção de mobilidade sustentável, seja na renovação da frota de autocarros e/ou no lançamento e gestão de projetos de apoio aos modos suaves, como a implementação de um sistema público de bicicletas elétricas partilhadas.

6 – Alocar a Polícia Municipal a funções mais importantes. Por último, mas não menos importante, esta delegação liberta a Polícia Municipal para funções mais adequadas e importantes para a cidade e, sobretudo, mais valorizadas pelos cidadãos, o que lhe acrescentará ganhos na imagem junto da população.

Com efeito, com o quadro de pessoal de que dispõe a Polícia Municipal, ao assegurar a fiscalização do estacionamento diminui a sua capacidade para assegurar o policiamento de proximidade, para fiscalizar o cumprimento dos regulamentos municipais relacionados com as atividades económicas e a ocupação do espaço público, para disciplinar o trânsito ou mesmo para acorrer a qualquer tipo de emergência em que seja necessária a sua intervenção.

Com as novas atribuições que recebe da Câmara Municipal, que incluem também a possibilidade de gerir parques de estacionamento, os TUB passam a liderar as políticas de mobilidade urbana, e esta, por muito que alguns políticos não gostem, é uma excelente notícia para a cidade.

Porque ao longo dos últimos 5 anos, os TUB têm demonstrado que possuem a experiência, a expertise e a capacidade para planear e implementar um novo paradigma para a mobilidade de Braga.”

in Correio do Minho, 15/02/2019 #recortesdeimprensa #tub #mobilidade #sustentável

“Encenação em autocarro dos TUB sensibiliza contra violência doméstica”

“O autocarro número 41 dos Transportes Urbanos de Braga (TUB) foi, ontem, palco de uma singular ação de sensibilização contra a violência no namoro, levada a cabo pela Equipa MakeBraga – CLDS 3G.

Dois animadores, fazendo- se passar por um casal de namorados, protagonizaram uma simulação de uma cena de violência verbal no namoro em pleno autocarro, aproveitando uma das carreiras mais frequentadas pelos jovens, que terminou precisamente junto à Universidade do Minho. No autocarro marcou também presença um agente da PSP de Braga, que ainda no âmbito da encenação, exige ao “agressor” que altere o seu comportamento.

O objetivo foi provocar e avaliar as reações dos passageiros, e sobretudo alertar para esta problemática cada vez mais premente.

No final da simulação os membros do Make Braga presentes no autocarro explicaram aos passageiros o que verdadeiramente estava a acontecer e sensibilizaram para esta temática, através da distribuição de panfletos e pequenos chocolates com os slogans “Não ames pelos dois” ou “Não alimentes o que te faz mal”, contendo os contactos do Centro de Informação e Acompanhamento a Vítimas de Violência Doméstica da Cáritas Arquidiocesana de Braga, onde as vítimas podem pedir ajuda.

Eva Ferreira, coordenadora do MakeBraga, esclareceu que uma vez que o projeto assenta numa estratégia concertada entre diferentes agentes educativos, sociais e económicos do território, também esta iniciativa resultou precisamente da parceria entre agentes, designadamente a Cáritas Arquidiocesana de Braga, o Centro Cultural e Social de Santo Adrião, a PSP de Braga e a Santa Casa da Misericórdia de Braga.

«No seguimento do trabalho que nós já temos feito nas escolas secundárias e mesmo nas escolas do primeiro ciclo (através de teatros de fantoches) e noutros contextos na área da prevenção da violência no namoro, achámos que hoje, Dia dos Namorados, seria importante, para abordar esta questão de uma forma pública». Além da equipa do MakeBraga, marcou presença a equipa do projeto Dharma, na área do atendimento e proteção às vítimas de violência doméstica.

Ricardo Queirós e Rafaela Moscoso, dinamizadores da Ger@ções 3D, foram os protagonistas da simulação, e fazem equipa com Fátima Viana, esta última a dinamizadora nas escolas. O “par” admitiu que foi a primeira ação do género num autocarro, já que todas as outras decorreram em ambiente controlado (escolas), com conhecimento do público.

«Começámos há dois anos, por iniciativa própria e fomos agregando um conjunto de parceiros, como a Cáritas e a PSP, sempre com a ideia de chegar aos jovens, porque constatamos que é muito banalizado a violência, o controlo, o ciúme, embora nos pareçam ideias do século passado», afirmou Fátima Viana.

Ricardo Queirós esclareceu que o diálogo se baseia numa série de clichés, abordando a exposição nas redes sociais.

Em ambiente controlado, nas escolas, o feedback dos jovens só ocorre após a simulação, e varia entre os que se insurgem e os que normalizam a situação e chegam, de forma preocupante, a defender a atitude do agressor.

Mas ontem, em pleno autocarro, vários passageiros se insurgiram, variando entre o simples abanar de cabeça até enfrentar abertamente o agressor.

Raquel Gomes, coordenadora do Gabinete de Apoio à Vítima, deixou a mensagem de que existem estruturas de apoio às quais as vítimas podem recorrer para denunciar a sua situação, como a PSP, GNR ou Ministério Público, e que sendo um crime público, se esta fosse uma situação real, qualquer cidadão a poderia denunciar.”

in Diário do Minho, 15/02/2019 #recortesdeimprensa #tub #mobilidade #sustentável

“TUB vão gerir estacionamento pago à superfície em Braga”

Os Transportes Urbanos de Braga (TUB) vão assumir a gestão do estacionamento pago à superfície na cidade, substituindo a Polícia Municipal na fiscalização dos parquímetros, anunciou esta segunda-feira o presidente da câmara.

Em conferência de imprensa, no final da reunião do executivo, o presidente da Câmara Municipal de Braga, Ricardo Rio, explicou que os estatutos daquela empresa municipal vão ser alterados para englobarem a nova função que “pode ser boa fonte” de receita para os TUB.

“Decidimos delegar a gestão do estacionamento pago à superfície nos TUB, que têm tido uma gestão exemplar e sem financiamento do estado central. Esta pode também ser boa fonte de receita para a empresa municipal”, disse o autarca.

Desta forma, explicou, “os TUB vão substituir a Polícia Municipal na fiscalização do pagamento do estacionamento”.

O estacionamento à superfície tem sido alvo de uma disputa entre a autarquia e a agora ex-concessionária, a ESSE S.A, depois do executivo ter aprovado, em 2013, resgatar a concessão em 2018, quando o contrato fazia cinco anos, sendo que o prazo inicial do acordo, assinado em 2011, previa a exploração dos parquímetros por aquela empresa até 2028.

O contrato assinado pela ESSE S.A e a autarquia em 2011 previa o adiantamento à CMB de 4,1 milhões de euros por conta do que a empresa iria arrecadar com os parquímetros.

“O anterior executivo decidiu abdicar de um instrumento fundamental na gestão da política de mobilidade do concelho”, começou por referir o autarca, que lembrou que a decisão do resgate do estacionamento, assim como a alteração ao número de ruas com parquímetros, foi das primeiras decisões do executivo eleito em 2013 (e reeleito em 2017).

“De 2013 até 2018 a Câmara Municipal de Braga não recebeu um euro adicional da gestão do estacionamento, porque as cobranças serviram para amortizar o adiantamento dado à autarquia no início do contrato”, explicou o autarca.

A autarquia assumiu, assim, a gestão do estacionamento pago à superfície em janeiro de 2019, apesar de correr no Tribunal Administrativo de Braga uma ação contra aquele resgate interposta pela ESSE, na qual a empresa pede uma indemnização que pode ir até aos 71,9 milhões de euros.

in Porto Canal, 11/02/2019 #TUB #recortesdeimprensa #mobilidade#sustentável

“Oposição contra parcómetros sob gestão dos Transportes Urbanos”

“TUB vai gerir, a partir do segundo semestre deste ano, o sistema de estacionamento pago na via pública. PS e CDU não concordam com aumento de competências da transportadora.”

“A oposição na Câmara Municipal de Braga votou ontem contra a alteração dos estatutos dos Transportes Urbanos de Braga (TUB) que permite à empresa municipal assumir, no segundo semestre deste ano, a gestão e fiscalização do estacionamento automóvel no espaço público.

Dentro de meses, os TUB passarão a contar com a receita extra dos parcómetros instalados na cidade, calculada em cerca de 600 mil euros anuais.

O presidente da Câmara Municipal de Braga admitiu que a gestão do estacionamento, actualmente na esfera de competências da Polícia Municipal, “pode ser uma boa fonte de financiamento para os TUB”, argumento que não convenceu os vereadores do Partido Socialista e da CDU.

O socialista Artur Feio considerou que a decisão da maioria PSD-CDS/PP confirma as suspeitas de que “as coisas não estavam bem na Polícia Municipal no que diz respeito à fiscalização do estacionamento” e que a administração da transportadora municipal deveria estar focada “no verdadeiro desafio do transporte de passageiros”.

Para o eleito do PS, “a alteração profunda dos estatutos dos TUB permite alocar tudo o que se quiser relacionado com a mobilidade”, o que não é correcto, na sua opinião.

Também o vereador Carlos Almeida, da CDU, entende que a alteração estatutária ontem aprovada “vem conferir novas competências aos TUB que devem estar focados no transporte público de passageiros”, missão que a empresa não está a cumprir “convenientemente”. Segundo Carlos Almeida, “a gestão dos parquímetros é financeiramente apetecível” mas irá “prejudicar o serviço de transporte de passageiros”.

“Numa óptica de racionalização de recursos e potenciando as competências adquiridas, a alteração estatutária agora proposta permite uma actuação mais abrangente da empresa, possibilitando uma gestão integrada da mobilidade, dos equipamentos e actividades que a qualquer momento o município decida atribuir”, argumenta-se na proposta de alteração estatutária dos TUB que ontem foi aprovada pela maioria PSD/CDS-PP.”

in Correio do Minho, 12/02/2019 #tub #recortesdeimprensa #braga #mobilidade #sustentável

“Fiscalização do estacionamento passa para o domínio dos TUB”

“Os Transportes Urbanos de Braga vão assumir a gestão da fiscalização do estacionamento público à superfície na cidade, depois da aprovação, ontem, da alteração dos estatutos desta empresa municipal.”

“A delegação da nova competência à empresa municipal deverá acontecer em meados do segundo semestre deste ano, substituindo-se os Transportes Urbanos de Braga (TUB) à Polícia Municipal, adiantou o presidente da autarquia.

A proposta foi rejeitada pelos vereadores da oposição que consideram que a atividade dos TUB sairá prejudicada e a Polícia Municipal fica cada vez mais esvaziada nas suas funções.

«Os TUB não têm capacidade para acolher esta competência», disse o vereador do PS Artur Feio.

O vereador considerou mesmo um «erro» transferir a fiscalização do estacionamento para os TUB, já que a empresa «têm dificuldades financeiras e não está a cumprir os objetivos em relação ao número de passageiros transportados.

«É uma decisão que não resolve, é deitar os problemas para debaixo do tapete», disse Feio, referindo que a empresa deve focar-se na melhoria da qualidade dos transportes.

O vereador considera que a Câmara de Braga não devia transferir mais esta competência, depois de já ter passado para o Theatro Circo a gestão do GNRation e as refeições escolares para a BragaHabit, e considerou que a autarquia encontra- -se hoje sem um plano de mobilidade.

O vereador da CDU encarou esta transferência de competências para os TUB com «surpresa e apreensão», pois entende que aquela empresa municipal já tem hoje uma «imcumbência que não é ligeira» e deve estar «preocupada » com os problemas de mobilidade, com o transportes público coletivo de passageiros e o transporte escolar.

O presidente da Câmara de Braga tem um entendimento diferente e apontou o argumento do PS «esquizofrénico», pois os socialistas no passado abdicaram de competências em favor de um privado e agora contestam a transferência de competências para uma empresa pública.

«Esta competência vai ser muito bem entregue aos TUB que é uma empresa exemplar a nível nacional e vai executar bem a nova função», disse Ricardo Rio.

Segundo o edil, a fiscalização do estacionamento à superficie por parte dos TUB pode ser uma «boa fonte de receita » para a empresa municipal «melhorar o serviço prestado à população, renovar a sua frota e conseguir melhores infraestruturas do ponto de vista do seu funcionamento».

O estacionamento à superfície sob a alçada da Câmara gera cerca de 600 mil euros de receita anual. Os TUB têm um orçamento anual na ordem dos 12 milhões de euros e recebem da autarquia mais de cinco milhões de euros por ano de indemnizações compensatórias pelo serviço que presta à população.”

in Diário do Minho, 12/02/2019 #recortesdeimprensa #tub #braga #mobilidade #sustentável

“TUB divulgaram melhoria de oferta junto à Bosch”

“Os Transportes Urbanos de Braga (TUB) acabam de melhorar a sua oferta nas deslocações de e para a Bosch, obtida através de algumas alterações nas linhas. Uma mudança que motivou a realização de uma campanha de promoção junto dos funcionários daquela empresa situada em Lomar.

A referida iniciativa teve lugar entre os dias 14 e 25 de janeiro e contou com a colaboração de seis funcionários dos TUB que, ao longo de 11 dias, deram a conhecer a sua oferta nas imediações da empresa, abrangendo todos os seus turnos, que se repartem pelas 24 horas do dia.

«Os TUB pretendem ser reconhecidos no domínio da mobilidade urbana como um elemento distintivo na sociedade em termos de identidade coletiva, pelo que este período na Bosch representa uma oportunidade não só de seduzir novos clientes como também de reter os atuais», refere a empresa municipal em comunicado.

Já António Gama, diretor comercial dos TUB, acrescenta a importância da Bosch enquanto polo gerador de mobilidade da região, já que nela trabalham cerca de 3800 pessoas, fazendo «todo o sentido» marcar presença de uma forma ativa. «O objetivo dos Transportes Urbanos de Braga é o de promover a sustentabilidade, aumentando a repartição modal em favor do transporte coletivo.

Temos vindo a melhorar a oferta, a facilitar o acesso aos títulos de transporte pelo que estas campanhas são cada vez mais frequentes. A campanha está alinhada com a nossa estratégia, faz parte do nosso Plano de Marketing e Comercial e pretende dar a conhecer as nossas soluções de mobilidade, nomeadamente percursos, horários, tarifários e aplicações móveis», vincou o responsável.

António Gama lembrou ainda a oferta de cartões de passe para os futuros clientes, a recolha de contributos e o fornecimento de informações importantes aos colaboradores. «Pretendemos garantir a preferência destes colaboradores », finalizou o diretor comercial.”

in Diário do Minho, 11/02/2019 #recortesdeimprensa #tub #mobilidade #sustentável

“TUB continua a promover acções para seduzir novos clientes”

“CAMPANHAS DE PROMOÇÃO continuam a ser promovidas pela empresa municipal – TUB (Transportes Urbanos de Braga). Seis colaboradores promoveram mobilidade sustentável na empresa Bosch.”

“A empresa municipal Transportes Urbanos de Braga (TUB) realizou mais uma campanha de promoção na Bosch. A campanha envolveu seis colaboradores da empresa de transporte público, que de uma forma pro-activa estiveram a promover no maior empregador da região a mobilidade sustentável.

António Gama, director comercial de empresa, referiu que “a Bosch é um dos importantes polos geradores de mobilidade da região, onde trabalham cerca de 3800 colaboradores, pelo que faz todo o sentido marcar presença de uma forma activa”.

A empresa municipal fez recentemente algumas alterações nas suas linhas para melhorar a oferta nesta empresa, pelo que “a campanha de promoção fazia todo o sentido e abrangeu todos os turnos da empresa que opera 24 sobre 24 horas”.

A TUB pretende, continuou aquele responsável, “ser reconhecida no domínio da mobilidade urbana como um elemento distintivo na sociedade em termos de identidade colectiva pelo que este período na Bosch representou uma oportunidade não só de seduzir novos clientes como também de reter os actuais”.

O objectivo da TUB é promover a sustentabilidade, aumentando a repartição modal em favor do transporte colectivo.

“Temos vindo a melhorar a oferta, a facilitar o acesso aos títulos de transporte pelo que estas campanhas são cada vez mais frequentes”, sublinhou ainda António Gama.

A campanha está alinhada com a estratégia daquela empresa municipal, fazendo parte do Plano de Marketing e Comercial da TUB. Pretende-se, de acordo com aquele responsável, “dar a conhecer as soluções de mobilidade, nomeadamente percursos, horários, tarifários e aplicações moveis”. E António Gama esclareceu: “oferecemos cartões de passe para os futuros clientes, recolhemos contributos e fornecemos informações importantes aos colaboradores”. Pretende-se, assim, “garantir a preferência destes colaboradores”, finalizou o director comercial.”

in Diário do Minho, 11/02/2019 #recortesdeimprensa #tub #mobilidade #sustentável

“TUB mudam de estatutos para ter mais competências”

“A empresa municipal dos Transportes Urbanos de Braga (TUB) pode vir a mudar de estatutos para poder alargar as suas competências na área de gestão das suas atividades.

A proposta vai ser debatida e votada segunda-feira, na Reunião da Câmara Municipal de Braga, a ter lugar no Salão Nobre dos Paços do Concelho, a partir das 09h30.

Nos considerandos da proposta que vai à reunião na segunda-feira de manhã, a Câmara de Braga recorda que, segundo as Nações Unidas, em 2050, cerca de dois terços das populações vão viver nas cidades; por outro lado, acrescenta que as cidades são, atualmente, «sistemas vivos», com dinâmicas próprias, em constante mutação e com população em crescimento, sendo o motor da inovação e do crescimento económico», lê-se.

No texto camarário pode ler-se ainda que o aumento da população das cidades traduz-se em novos desafios, em particular na mobilidade, originando que sejam criadas soluções rápidas e eficazes para uma melhor gestão.

No entender dos autores da proposta, a gestão da mobilidade sustentável nas cidades, devido à sua elevada complexidade e exigência, deve ser gerida e articulada de forma global, integrada e centrada num organismo para uma maior eficiência e eficácia de todos os recursos.

Assim, a Câmara Municipal de Braga e os administradores dos TUB entendem que, numa ótica de racionalização de recursos potenciando as competências adquiridas, a alteração estatutária agora proposta permite «uma atuação mais abrangente da empresa TUB, possibilitando uma gestão integrada da mobilidade, dos equipamentos e atividades que a qualquer momento o município decida atribuir a esta entidade», justificam.

No memorando pode ler-se ainda que este alargamento de competências vai contribuir para um maior aproveitamento das sinergias geradas entre a mobilidade, os equipamentos e atividades sob alçada da gestão da empresa municipal, permitindo a racionalização das estruturas e meios técnicos e humanos e, sobretudo, promover uma maior integração equilíbrio nas políticas de mobilidade da cidade. TUB são paradigma de mobilidade

No texto, a Câmara Municipal de Braga refere que os TUB têm sido responsáveis e promotores de um novo paradigma de mobilidade sustentável no concelho, «quer seja pela implementação e gestão de interfaces estratégicos que servem uma dinâmica cultural, económica e ambiental do concelho em crescimento, como na melhoria de linhas existentes e criação de novas linhas, alinhando e antecipando as necessidades da população».

A autarquia bracarense considera que os desafios atualmente existentes no domínio das tecnologias de informação associados à área da mobilidade têm sido dinamizados pelos Transportes Urbanos de Braga. Aliás, sempre num tom elogioso, o memorando refere que os TUB têm sido uma empresa na vanguarda da inovação, sendo a única empresa de transportes rodoviários de passageiros em Portugal certificada NA 4457 —Investigação, Desenvolvimento Inovação.

A proposta de mudança de estatutos surge no momento em que os TUB estão a preparar a renovação da frota automóvel, com mais 32 autocarros, num investimento superior a 10 milhões de euros, mediante uma candidatura aprovada pelo Programa Operacional Sustentabilidade e Eficiência no Uso de Recursos (POSEUR).”

in Diário do Minho, 09/02/2019 #recortesdeimprensa #TUB #mobilidade #sustentável